Z Arquitetura.

Estádio dos Aflitos _ Náutico
-----------------------------------------------------------------------
Localização: Recife2017
Tipologia: Estádio de futebol
Status: Projeto + Obra (parcial)
-----------------------------------------------------------------------
Arquiteto(s): Múcio Jucá; Renato Leão.
-----------------------------------------------------------------------

O projeto de requalificação do Estádio dos Aflitos, visa adequá-lo aos padrões de conforto e segurança contemporâneos de arenas esportivas, mas sem que este perca sua essência e identidade: de estádio – caldeirão, localizado no meio da cidade.

Importante ressaltar que essa identidade passa pela reafirmação do estádio no contexto da cidade. Uma casa carregada de história e de simbologia, mas que também precisava de uma nova feição, diferente daquela, construída ainda na década de 1940 e que sofreu alterações na estrutura de arquibancada apenas na década de 1990.

Entretanto, a reforma realizada em 1990´s pouco criou em termos de conforto para o público assistente. Banheiros e bares, além de áreas destinadas à imprensa e aos atletas sofreram pouca ou nenhuma alteração.

O presente Projeto visa sanar essa questão de forma objetiva, a um custo relativamente baixo para os padrões de investimentos observados hoje, mas ainda assim, garantindo o conforto adequado para o público e atletas, em sintonia com o que se entende como padrão de conforto de arenas esportivas contemporaneas.

O projeto também parte da premissa de que este Estádio dos Aflitos deve ser estruturado para garantir o uso e atividades econômicas em todos os dias da semana, e não apenas em dias de jogos, recuperando assim o uso ativo do lote, com maior integração com o entorno urbano no qual está inserido.

Sendo assim, consideramos que o Projeto de Requalificação ora em desenvolvimento está sendo concebido sob as seguintes premissas:

1. Manter a estrutura de arquibancadas existentes, com capacidade para 19.800 espectadores (sentados)

2. Garantir melhor padrão de acessibilidade e segurança de público

3. Garantir banheiros e bares compatíveis com padrão contemporâneo de arenas esportivas

4. Garantir melhor qualidade espacial de instalações de áreas técnicas (vestiários + áreas de apoio + áreas de imprensa)

5. Garantir melhor interface urbana com a vizinhança

De modo geral, a reforma do estádio tem como princípio remover as construções de vedação (em alvenaria) que foram executadas abaixo da arquibancada, principalmente ao longo dos últimos 20 anos, sem planejamento ou preocupação com o resultado espacial.

Neste contexto estão previstas a construção de novas paredes de vedação, todas no nível térreo, para comportar estruturas de bares, lanchonetes e banheiros nos padrões adequados.

Com isso, o equipamento passará a contar com banheiros e bares adequadamente dimensionados para o público assistente, e distribuídos pelos diversos setores do estádio. Os bares estarão seguindo as premissas de conforto e higiene estabelecidas por órgãos reguladores, e deverão oferecer produtos diversificados, gerando recursos importantes para o clube. Para tal, nos apoiamos nas altas médias de público (12.800, entre 2004 / 2013) e alto padrão de consumo observado na torcida do Náutico.

Os banheiros deverão estabelecer um novo padrão de conforto para o público masculino e feminino, assim como estarão atendendo os portadores de necessidades especiais de forma adequada. 

Para lidar com as novas demandas hidráulicas do equipamento, serão construídos dois reservatórios inferiores com capacidade total para 130 mil litros. A alimentação de áreas molhadas a partir destes reservatórios será realizada por bombas hidráulicas de pressão, acionadas de acordo com a necessidade de momento, evitando assim, a construção de reservatórios superiores espalhados pelo edifício. Esta solução segue premissa técnica de novas arenas esportivas.

Grande ênfase foi dada na reforma das instalações para os atletas e imprensa, este último dentro das possibilidades inerentes às condições físicas permitidas. As cabines de imprensa deverão sofrer limitadas alterações nessa etapa. Entretanto, novas áreas de entrevistas serão criadas junto aos vestiários do Clube, como auditório e zona mista.

 

Outra premissa projetual é a melhoria da relação do equipamento com a interface urbana. O clube possue três faces voltadas para ruas destintas, sendo elas: Av. Cons. Rosa e Silva (Sede do Clube / Imóvel Especial de Preservação); Rua da Angustura e; Rua Manoel de Carvalho, sendo essas duas últimas de acesso ao estádio.

A rua da Angustura passará por uma reforma de requalificação, com novo piso, novos acessos e novas instalações para bilheterias.

Porém, a maior mudança será na rua Manoel de Carvalho, que hoje está caracterizada por um muro alto e portões apenas abertos em dias de jogos, o que gera uma relação negativa com a rua e entorno urbano.

A proposta visa criar uma melhor ambiência e interação com a rua por meio da derrubada do muro, alargamento da calçada (para dentro do lote), gerando um largo. O acesso ao estádio será sob marquizes de concreto e grades que darão acesso a uma praça de alimentação, com 4 lanchonetes e bares. Junto à rua, será construída um espaço comercial com 4 lojas, definindo assim o uso ativo voltado para rua.

Estão previstos ainda nova iluminação de campo e sob as arquibancadas, com foco no conforto e segurança de público, além de iluminação para pedestres na interface voltada para a Rua Manoel de Carvalho, em benefício da ambiência urbana.